Way of Life dos Surfistas

Por Henrique Cesar Tupper

De todas as tribos que já conheci, os surfistas são de fato os mais descolados de todas. De um modo geral são dissociados do consumismo exarcebado de nossa sociedade atual, focados apenas em um fenômeno que ocorre na natureza: as ondas.

Sem saber com clareza absoluta de que tudo que os permite surfar é produzido do petróleo, (espuma; resina; fibra de vidro; cordinha; bermuda sintética; grip e parafina), agem de forma romântica se agarrando na bandeira ecológica da preservação ambiental e na busca de uma vida mais simples.

Vida simples que não exige luxo, nem muito conforto. Basta um bom equipamento para a prática do esporte e uma boa onda. Não interessa o lugar, desde que a onda seja boa. Para os surfistas, a rota dos países dos sonhos é Indonésia, Maldivas, Peru e outros lugares remotos e de bela natureza, mas com pouca infraestrutura. O Hawaii é uma das grandes exceções, mas, ainda assim, onde as grandes ondas rolam, fica em uma região mais isolada.

A tribo do surf precisa apenas curtir as ondas e de uma boa dose de natureza decorativa para ser contemplada. O contato com a água, com vida marinha e com o verde nativo das praias, nos remete a alguma coisa mais orgânica, primitiva e irracional de difícil explicação… Nos remete a alguma coisa mais natural, em equilíbrio com a nossa própria essência existencial. Diria até mesmo espiritual.

Em minha última viagem, tive a oportunidade de conhecer as praias de El Salvador: em sua grande maioria incrustada em uma região super pobre, literalmente favelas com esgotos abertos, mas com belezas naturais estonteantes.

Nós éramos ao todo 12. Todos estavam tão satisfeitos de estarem compartilhando aquele visual, aquela energia, que duvido que um “civil” tradicional de uma megalópole conseguisse entender como poderíamos estar nos divertindo tanto em um ambiente tão desprovido de recursos. Juntamente conosco, havia diversos canadenses e americanos que buscavam encontrar a mesma felicidade que compartilhávamos, no meio de toda a simplicidade que El Salvador possui.

Entendo hoje que se continuarmos consumindo compulsivamente da forma que a nossa sociedade atualmente consome, em breve não haverá mais recursos para todos. A exemplo disso, Rio de Janeiro, parte de Minas e principalmente São Paulo estão sinalizando que podem ter um esgotamento da oferta de água potável para a sua população. E o pior e mais alarmante: os governos desses estados ainda não conseguiram sinalizar que direção devemos tomar.

Enquanto isso, os surfistas parecem ter a resposta para um ‘way of life’ sem tanto consumo, mas com um nível de felicidade e harmonização com a natureza que deveria ser considerado por todos, se quisermos ter uma sociedade sustentável até os nossos netos.

Albert Einstein falava que “insanidade é fazer sempre a mesma coisa várias e várias vezes esperando obter um resultado diferente”. Deveríamos repensar sobre os nosso valores, não é?

El Salvador é um dos lugares maisconstantes de ondas do mundo. Foto: magicseaweed.com

El Salvador é um dos lugares mais constantes de ondas do mundo. Foto: magicseaweed.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *