Teatro chamado São Conrado

Hoje, 28 de abril, duas semanas antes da etapa brasileira da WSL, saiu em diversos sites a notícia de que o canto esquerdo da praia de São Conrado não seria mais um palanque alternativo do Oi Rio Pro. Eu, como carioca, nem imaginava que os promotores do evento, que são catarinenses, tivessem escolhido este pico, de ondas muito boas, como um possível local para os melhores surfistas do planeta de apresentarem. O motivo é simples: qualquer pessoa que passe por ali verá que não dá para ter nem campeonato de frescobol na areia imunda, cheia de línguas negras de poluição, quanto mais um evento internacional do porte do Circuito Mundial. Não sei se foi desconhecimento ou apenas um jogo político, afinal a Prefeitura do Rio dá uma bela verba para a realizacão do evento, mas o fato é que há anos aquele local está abandonado pelas autoridades, tanto municipal quanto estadual. Uma VERGONHA!

Para os que não são do Rio, São Conrado já foi um bairro hiper chique da Cidade Maravilhosa, com casas e condomínios da fina flor carioca. Com o crescimento das favelas da Rocinha e Vidigal, o que se vê hoje é o completo descaso das autoridades em relação a esta belíssima praia, palco do início do vôo livre no país (no Pepino, canto direito) e de excelentes ondas, fortes, tubulares e fotogênicas devido a curta distância para a areia. Ou seja, a idéia de tentar fazer um grande campeonato de surf ali é demais, só faltava combinar com o prefeito e o governador.

Fico pensando o seguinte: se o Estado e a Prefeitura não estão nem aí para a Baía de Guanabara com tudo que você possa imaginar boiando, palco (já tenho minhas dúvidas) do iatismo nas Olimpíadas ano que vem, imagine uma simples praia, frequentada por gente humilde que talvez nem pague IPTU. Ninguém com um conhecimento básico do litoral da cidade acreditaria na tentativa de se fazer um Coco Pro por lá. E olha que até o Postinho, local do palanque principal, dependendo das chuvas e ondulacão, tem seus dias de privada.

O pior é ler depois no Globoesporte.com que obras de um projeto de despoluição chamado “Sena Limpa” em São Conrado (que nome é esse????) visando modernizar o sistema de esgoto sanitário da Bacia de São Conrado serão finalizadas até o primeiro trimestre de 2016. É melhor rir pra não chorar. Desculpe minha incredulidade, mas eu DUVIDO que isso aconteça. Perdi a fé em qualquer coisa ligada a estes políticos. No máximo, creio que darão um jeito, talvez até ano que vem se o evento ainda for no Rio, com uma solucão temporária, pra enganar a imprensa e jogar a bola pro próximo governante. Quero muito queimar minha língua, ou melhor, meu teclado, mas penso que todos (organizadores e autoridades) perderam uma boa oportunidade de resolver um problema que aflige a populacão, principalmente de São Conrado. Se os promotores estiverem realmente a fim de que o canto esquerdo esteja apto em 2016, devem cobrar os responsáveis desde já, pois os canudos oriundos de um bom swell de leste iria deixar os Top malucos com tantos tubos nos triângulos do pico. Precisamos de ação e não ensaio!

 

As condições da água impediram a realização da etapa do mundial de surf em São Conrado. Foto: Globo.com

As condições da água impediram a realização da etapa do mundial de surf em São Conrado. Foto: Globo.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *