Não Estou Sonhando

Em seu primeiro discurso como campeão mundial do WCT, Gabriel Medina falou do seu grande sonho que acabava de se realizar. Fiquei bastante emocionado ouvindo suas palavras, pois o sonho não era só dele, era nosso também. Foram anos imaginando quem seria o atleta que quebraria esse encanto. Achei que seria o Adriano de Souza por suas conquistas e sua personalidade forte de vencedor. Na minha opinião, ele foi o grande nome depois de Fabio Gouveia, que nos fez sonhar com um título para o Brasil. Adriano contribuiu muito para subirmos mais um degrau em nosso merecido lugar de potencial mundial. Continuo a acreditar que ele pode ir mais longe do que já foi, mas isso vamos deixar o tempo nos dizer.

A conquista de Medina foi épica, principalmente pela maneira com realizou. Surfou de forma avassaladora as esquerdas de Pipe, assim como as direitas do Backdoor. Mostrou muita maturidade em suas baterias, e nem nos momentos mais adversos se desesperou. Imaginávamos antes do evento que John John poderia ajuda-lo a desbancar Kelly Slater e Mick Fanning, mas quem fez esse feito foi outro brasileiro, Alejo Muniz. Medina fez sua parte de maneira brilhante e seus adversários diretos sentiram isso. Kelly Slater deu adeus no terceiro round, já fora da corrida pelo caneco. Mick Fanning vinha passando as fases sem convencer, até encontrar com Alejo. Medina, ao contrário, estava tão iluminado, que mesmo saindo de sua bateria das quartas, para comemorar o título, voltou para água faltando 15 minutos para o término e venceu seu compatriota Filipe Toledo. Filipe é uma grande esperança brasileira, apontado por muitos como um futuro top 5 do circuito, e quem sabe, campeão mundial. Fez uma grande exibição em Pipe, mas o dia era do nosso campeão. Na semi final Medina despachou o perigoso Josh Kerr com muita categoria. Julian Wilson foi seu adversário na grande final.

Meu sonho estava se tornando uma realidade maravilhosa. Teriamos um campeão mundial e um Pipemaster ?  Gabriel Medina seria o vencedor das 3 esquerdas mais difíceis do planeta? Fiji ,Teahupoo e Pipeline ? Algum brasileiro imaginava isso antes do ano começar ? Sinceramente dúvido. Infelizmente Julian Wilson me acordou com sua última onda surfada, um tubaço. Achei a bateria muito disputada, mas ficou um gosto de água no chope, principalmente pelo tubo nota 10 que Medina pegou para o Backdoor. O filme de Portugal, quando Julian virou nos últimos segundo de bateria, voltou a minha mente. Será ? De novo ? De novo. Não estragou a festa da torcida mais vibrante que Pipe já viu, mas nós mereciamos um final barba, cabelo e bigode, não acham ?

Por falar em barba, cabelo e bigode, levamos tudo. Gabriel Medina é o campeão do WCT, Filipe Toledo do WQS masculino e Silvana Lima do feminino. Como os gringos vão reagir a nossa invasão? Somos uma potencia mundial do esporte em todas as modalidades como falei em meu útlimo texto, 9 pés.
O trabalho que o Brasil fez durante tantos anos foi recompensado. Muitos lutaram por isso, principalmente pessoas que acreditavam que algo maior poderia acontecer. O sonho de Medina era o nosso também, e de todos os brasileiros que amam o surf de forma inexplicável. Neste momento penso nos atletas que abriram as portas no tour, quando ainda eram um pouco discriminados; nos juízes que trabalharam comigo e faziam seu trabalho por amor, pois seus salários não condiziam com suas responsabilidades; nos produtores de eventos que sofriam para nos dar um pouco mais de conforto; nos humildes montadores de palanques, que ficavam sol e chuva prontos para nos ajudar; em atletas que não tinham dinheiro nem para comprar seu jantar. Todos que  lutaram com coração por este esporte  merecem  muito um campeão do tamanho de Gabriel Medina.

Obrigado Medina por realizar o nosso sonho !!

O sonho se realizou. Foto: ASP/Kirstin

O sonho se realizou. Foto: ASP/Kirstin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *