Já temos um campeão

Enquanto esperamos ansiosamente pelo desfecho da disputa entre Gabriel Medina, Kelly Slater e Mick Fanning, pelo título do WCT 2014, já podemos comemorar o título do WQS, conquistado por Filipe Toledo. Parece algo menor para muitos, mas vejo de outra forma. A luta pelas 10 vagas para a divisão de elite é muito forte, com atletas da nova geração, surfistas locais de bom nível tecnico e atletas do WCT, que não confiam na reclassificação pelo circuito dos sonhos, ou que buscam boas premiações e destaque. Os eventos tem formato diferente, onde uma maratona de baterias impera. Na minha opinião, chegar numa final de WQS é tão complicado quanto chegar numa final de WCT. Filipinho chegou em duas finais de prime e venceu as duas, lembrando que em Maresias foi covardia a maneira como encarou seus adversários. Esse título pode dar mais segurança para ele entrar em 2015 com maiores pretensões no World Surf League, novo nome do circuito no próximo ano. Tenho a maior fé nele, que é apontado por muitos como o surfista mais criativo do momento.

Wiggolly Dantas e Italo Ferreira também merecem destaque. Conseguiram se classificar entre os dez melhores para a divisão de elite 2015 e vão ocupar os lugares de Raoni Monteiro e Alejo Muniz, que não tiveram um ano bom. Continuaremos com 7 atletas para torcer pelo título, isso se a ASP não convidar o Alejo para uma das vagas de contusão, ou Tomas Hermes, com remotas chances, conseguir sua vaga. Ele finalizou com a décima sétima colocação do WQS  e precisa torcer para alguns atletas que se classificaram pelo QS se classifiquem pelo WCT. Pensando na melhor hipótese, teriamos 9 entre os 36 melhores do planeta. Vamos torcer e aguardar !!

Filipe Toledo campeão do WQS 2014.Foto:ASP/Daniel Smorigo

Filipe Toledo campeão do WQS 2014.Foto:ASP/Daniel Smorigo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *